Como lidar com a perda inesperada de um ente querido

Como lidar com a perda inesperada de um ente querido

Lidar com a perda de um ente querido nunca é fácil. Se for de forma inesperada, isso se torna ainda mais difícil. Não há muito o que dizer num momento de forte impacto emocional e que é uma mistura de sentimentos. Ao mesmo tempo, com a perda inesperada é preciso também se ocupar de questões burocráticas, caso a pessoa seja a responsável por tomar todas as providências relacionados ao velório e ao sepultamento ou cremação.

Cada pessoa lida com ela da sua maneira. Alguns entram em desespero, outros não choram. Por isso, uma dica é buscar o apoio mútuo e o compartilhamento das boas lembranças, que são importantes para lidar com a perda. Mas por mais forte que a pessoa possa se sentir ou querer aparentar, não há como não passar pelas etapas do processo de luto. Por isso, para lidar com a perda inesperada, uma outra dica importante é: antes de querer ser forte, seja humano.

As etapas do processo de luto são cinco e foram apresentadas pela primeira vez no livro “Sobre a morte e o processo de morrer”, escrito pela psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross em 1969. São elas:

Negação
Negar a perda vem do choque que ela provoca. É a reação ao primeiro impacto diante da notícia de que alguém muito querido partiu.

Raiva
A raiva que se sente diante da perda inesperada tem a intensidade proporcional ao amor e ao afeto que se tinha pelo ente querido.

Negociação
Nesta etapa, a dor sentida se mistura com culpa. O desejo de querer tudo de volta faz com que se lamente e não aceite a perda.

Depressão
Por mais dolorido que seja, esta é a resposta para uma grande perda. E, principalmente, é o momento de se voltar para o presente, mesmo com a uma sensação de vazio e dor.

Aceitação
Depois de passar (e sentir) pelas demais etapas, chega o momento de assimilar que existe uma nova realidade onde será necessário criar novos vínculos e seguir em frente.

Para tomar as providências na perda inesperada

Em meio a todo o turbilhão de emoções provocado pela morte inesperada, há a necessidade de tomar as providências necessários para a despedida. A dica é respirar fundo e encontrar serenidade para contratar o serviço funerário mais adequado e, se for o caso, respeitar o desejo que o ente querido possa ter expressado em vida quanto ao seu funeral. O objetivo é oferecer uma despedida digna ao ente querido e também procurar amenizar a dor e o sofrimento de amigos e familiares.

A filosofia de trabalho da Vaticano leva isso muito em conta – e não somente na oferta de planos para cremação e para sepultamento que podem ser de grande importância num momento que pega a todos de surpresa. A estrutura das Capelas Vaticano foi pensada para justamente tornar o adeus menos doloroso para as famílias.

A partir do “conceito de vida”, a Vaticano procura oferecer um ambiente confortável, mais leve para o momento. É uma forma de criar um contraste com a perda. Para isso, são agregados elementos como as fontes de água, as flores e a revoada de pombos. E agora também os cães terapeutas que frequentam as Capelas para interagir com crianças e adultos nos velórios.

Atualmente, são cinco Capelas Vaticano:

Curitiba
Rua Desembargador Hugo Simas, 26, bairro Bom Retiro

Almirante Tamandaré (PR)
Rua Maurício Rosemann, 556, bairro São Sebastião

Balneário Camboriú (SC)
Rod. BR 101 km 132, nº 3650, bairro Estados

Blumenau (SC)
BR 470, nº 3022, bairro Salto Norte

Florianópolis
Rua Pastor Willian Richard Schisler Filho, 489, bairro Itacorubi

Conheça mais sobre as Capelas Vaticano.

Todas as notícias

NÓS LIGAMOS PRA VOCÊ!

Como conheceu a Vaticano?*
Portal Vaticano 2018 © Todos os direitos resevados | Por: Agência Nectarina