NÓS LIGAMOS PRA VOCÊ!

Como conheceu a Vaticano?*

Homenagem a Arthur Connan

Homenagem a Arthur Connan

Connan  adorava brincar na praia

Simpático, brincalhão e amoroso essas eram as  características do  cão Arthur Connan, uma mistura de Golden/ Scottish Terrier. O relacionamento de amor com sua tutora Ariane Zaniolo começou lá nos meados  de 2003 quando ele saiu do bairro do Boqueirão de Curitiba,  atravessou a cidade,  até o Alto da XV  em uma bicicleta e dentro de uma mochila.  Na época Ariane morava em um apartamento e Arthur conviveu com a família em Curitiba por dois anos e meio. Após todos foram morar no litoral.

A primeira vez que viu o mar Arthur ficou maravilhado, os olhinhos se fechavam com o vento do mar, a língua para fora da boca demonstrava a satisfação e a felicidade de estar em frente ao mar, onde percebeu a imensidão de areia que podia correr a vontade. Seu brinquedo predileto na praia era o siri, ele adorava caçar, não os matava, apenas os procurava e corria ao redor deles.

Desde o primeiro dia que foi morar na praia Arthur virou celebridade, por sua simpatia e beleza,  todos vinham até ele. Era muito dócil, carinhoso, era incapaz de machucar um passarinho. Amava seus priminhos: o coelhinho e um papagaio. Certa vez, Arthur foi até a cozinha e começou a chamar atenção de sua “mamãe humana” e ela foi ver o que ele queria, e foi até o quintal e viu que tinha uma coruja pequena caída ao chão, ele estava sinalizando para ajudar a pequena ave.

Arthur parecia uma criança desde o primeiro dia que foi adotado dormia com sua tutora, não gostava de ficar sozinho. Tinha uma manchinha em sua língua, e Ariane acredita que reconhecerá por esse sinal quando em breve ele voltar em outro bichinho de estimação.

Aos 14 anos foi diagnosticado  com osteosarcoma, que é um câncer ósseo, ocorrência mais normal desse tipo de tumor maligno ósseo, sendo caracterizado por prejudicar diferentes regiões e órgãos do corpo do animal de maneira bastante agressiva e dolorosa.

A doença levou embora o  Arthur  em fevereiro de 2018, ele foi cremado no Crematório Pet Vaticano, as cinzas estão guardadas com a família, mas um tanto foram reservadas para serem incrustadas em dois pingentes de cristais onde a família carregará para sempre ele na alma e no coração.

 

 

Todas as notícias

NÓS LIGAMOS PRA VOCÊ!

Como conheceu a Vaticano?*
Portal Vaticano 2018 © Todos os direitos resevados | Por: Agência Nectarina