Curitiba: 41 3019-3006 | Bal. Camboriu/SC: 47 3361-0400
Palhoça: 48 3242-3009 | Florianópolis/SC: 48 3236-3006

Homenagem a Maggy

Homenagem a Maggy

A  Maggy chegou à família da Layla,  no ano de 2008, em Curitiba. Foi presente de Natal para a irmã Samyra. Maggy é o primeiro pet que não cumpriu nenhuma regra em sua moradia nova. Foi a primeira a dormir dentro de casa, no início, tentaram deixar a mascote dentro de uma gradinha, mas toda manhã quando  Layla e a irmã acordavam, lá estava a Maggy do lado da cama delas. Tentaram colocar cadeados, outros apoios para manter a grade fechada, até tijolos foram colocados, mas ela sempre achava uma forma de escapar.

                   Maggy querendo atenção de Layla

Até que um dia, a Maggy conquistou as irmãs, a cama, o sofá, o travesseiro, todos os lugares, comia a mesma comida da família, sentava junto na mesa na hora das refeições, era tratada como um bebê. Tinha roupinhas, brinquedos, a mascote fez a família enxergar os animais de forma mais humanizada.

Antes da Maggy, Layla só tinha cão de guarda em casa. A presença dela e o carinho que ela passava para a família os ajudaram a superar momentos ruins, e os momentos bons se tornavam mais alegres.

Obcecada por ter atenção das donas, era um grude com elas, queria estar sempre na companhia delas. Era hiperativa gostava muito de bolinhas, mas também tinha outros brinquedos como ursinhos de pelúcia e mordedores. Era comilona, queria comer tudo que via pela frente.

Em 2012 Samyra foi morar na Austrália e ela ficou morando com a avó. Por conta de Curitiba fazer muito frio e por ficar muito tempo sozinha, foi morar em Blumenau com Layla (irmã de Samyra) e suas outras duas yorkshires e começou a frequentar uma creche da região diariamente.

 

Maggy se divertia muito na creche que frequentava

Em 2017 Maggy começou a ter convulsões e após vários exames foi diagnosticada com câncer no cérebro. Fez tratamento por um ano e até que um dia não reagia mais, não demonstrava mais consciência. E, em janeiro de 2018, a família decidiu interromper o sofrimento da Maggy  fazendo  eutanásia, no hospital veterinário de Blumenau, em Santa Catarina.  Foi cremada  no Crematório Pet Vaticano de Balneário Camboriú, Santa Catarina.

As cinzas da Maggy estão com a mãe da Layla em Curitiba, porque a dona do pet mora na Austrália.

 

 

 

 

 

 

Todas as notícias

NÓS LIGAMOS PRA VOCÊ!

Como conheceu a Vaticano?*
Portal Vaticano 2018 © Todos os direitos resevados | Por: Agência Nectarina