fbpx
Curitiba/PR: 41 3019-3006 | Bal. Camboriu/SC: 47 3361-0400
Palhoça/SC: 48 3242-3009 | Florianópolis/SC: 48 3236-3006

Entenda quais são as diferenças entre cremação e sepultamento

Entenda quais são as diferenças entre cremação e sepultamento

O momento da partida de um ente querido envolve várias decisões que podem ser baseadas em desejos expressos ainda em vida ou na escolha da família. E uma das decisões mais importantes é se o corpo será cremado ou sepultado.

A escolha entre cremação e sepultamento pode depender de fatores como os princípios culturais e religiosos de cada um, e também de questões práticas. Mostramos neste texto algumas comparações entre os diferentes aspectos dos dois procedimentos que podem te ajudar a definir qual é o mais adequado para o momento de despedida.

Como funciona o processo:

A prática de enterrar os mortos remonta à pré-história e passou por adaptações ao longo dos milênios de acordo com os costumes e as religiões de cada povo. O sepultamento consiste em colocar o caixão com o corpo em um túmulo, jazigo ou outro tipo de sepultura que vai acondicionar os restos mortais de quem se foi.

A cremação também acompanha a trajetória da evolução humana. Ela iniciou na Idade da Pedra e avançou de funerais rudes para modernos métodos científicos. Na cremação moderna, o caixão com o corpo é colocado no forno de alta tecnologia, já sem as alças e outros metais. O processo dura cerca de duas horas e por causa do fogo e das altas temperaturas, todo o corpo é reduzido a fragmentos de ossos e pó (em forma de cinzas) enquanto todo o material do caixão é consumido, sem deixar resquícios.

Leia mais: Como é feita a cremação

Aspectos religiosos:

O sepultamento é historicamente a opção escolhida pelos católicos. Mas a partir de 1963, a cremação foi reconhecida pelo papa Paulo VI como uma forma de despedida digna para os católicos e é totalmente autorizada pela igreja.

Os evangélicos também reconhecem tanto a cremação quanto o sepultamento. A vertente mais tradicional que segue o Velho Testamento costuma optar mais pelo sepultamento, mas não existe nenhuma proibição em relação à cremação.

No espiritismo, as duas formas de despedida são válidas, mas pede-se apenas um tempo de 72 horas entre a morte e o início da cremação ou do sepultamento. A orientação é justificada pela crença de que o espírito pode manter uma ligação com o corpo após a morte por um determinado período.

Já os hindus são adeptos da cremação, pois acreditam que o fogo funciona como um elemento purificador, ajudando o falecido a se desapegar dos restos materiais e partir para uma nova dimensão.

Leia também: Que religiões permitem a cremação?

Cerimônia de despedida:

A escolha pela cremação ou pelo sepultamento não interfere no modo como a cerimônia de despedida é realizada, ou seja, o velório e as celebrações religiosas ocorrem seguindo os desejos e preceitos de quem se foi e da família enlutada.

Nas capelas do Crematório Vaticano, por exemplo, um auditório está preparado para uma cerimônia de homenagens que ocorre após o velório. Essa homenagem, também feita com o corpo presente, é conduzida por um mestre de cerimônias e pode conter fotos e vídeos do ente querido, falas dos familiares e amigos, músicas selecionadas pela família ou mesmo escolhidas pela pessoa antes de falecer. Ao final, uma chuva de pétalas de rosas cai sobre o caixão e uma cortina se fecha, uma forma simbólica de dar adeus a quem partiu. As capelas da Vaticano, assim como a cerimônia de despedida, também podem opções para velório de quem não opta pelo serviço de cremação.

Leia também: Lembranças ajudam a confortar família e amigos na cerimônia de despedida

Local para prestar homenagens:

No caso do sepultamento, uma tradição bastante popular é a da família visitar o cemitério para prestar homenagens ao ente querido falecido.

Já quando é realizada a cremação, é comum que as cinzas sejam guardadas em urnas ou espalhadas por locais importantes para quem partiu. Opções como transformar as cinzas em cristais ou diamantes também são uma forma de guardar as lembranças de maneira carinhosa.

Mas muitas pessoas que optam pela cremação sentem a necessidade de ter um lugar especial para visitação póstuma. Para esses casos, e também para quem não se sente bem em ter as cinzas em sua residência, o Crematório Vaticano criou a Sala de Memórias.  Trata-se de um espaço onde é possível alocar nichos de variados tamanhos que podem acomodar as urnas cinerárias e até mesmo objetos pessoais de que se foi. Para facilitar as visitas e as homenagens dos familiares, as salas ficam abertas 24 horas em todos os dias do ano.

Leia mais: Sala de Memórias é opção para as famílias guardarem as cinzas

Questão ambiental:

Quando o assunto é preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade, a cremação tem a vantagem da economia de espaço, fator importante diante da falta de área disponível em cemitérios.

O processo de cremação também não emite fumaça poluente. A tecnologia utilizada no procedimento queima e requeima os gases produzidos que passam por tubulações fiscalizadas regularmente pelos órgãos ambientais.

Também existem opções de urnas biodegradáveis como as feitas com compostos orgânicos que podem ser plantadas com sementes de árvores nativas, até urnas hidrossolúveis para quem quer lançar as cinzas ao mar.

No caso do sepultamento, é importante buscar cemitérios que estejam de acordo com os padrões ambientais para evitar a contaminação do solo. Entre as adequações necessárias, estão o maior cuidado com as covas e impermeabilização do fundo das sepulturas com uma manta de tecido especial, além da recomendação de que os cemitérios sejam construídos em locais com lençol freático mais profundo possível e em região de rochas impermeáveis.

Leia mais: Urnas biodegradáveis facilitam despedida ecologicamente correta

Plano preventivo:

Um ponto que independe da escolha pela cremação ou pelo sepultamento é a necessidade de contar com um plano preventivo para o momento da despedida de um ente querido. Isso porque com a decisão antecipada, a família não precisa lidar com questões burocráticas em um momento tão doloroso, nem ter gastos financeiros inesperados.

O Crematório Vaticano oferece um Plano Preventivo de Cremação, que inclui além da cremação propriamente dita, serviços como a assessoria para documentação, cerimônia de despedida e urna para as cinzas.

Para tratar de questões relacionadas ao momento de despedida, há ainda o Plano Preventivo de Assistência Funeral que inclui a Capela de velório, urna funerária, preparação do corpo e tanatopraxia e translado.

Já o Plano Preventivo de Sepultamento da Vaticano permite a aquisição de gavetas no Cemitério Vaticano, em Almirante Tamandaré, no Paraná.

Leia mais: Por que ter um plano preventivo ajuda em todos os sentidos

Todas as notícias

NÓS LIGAMOS PRA VOCÊ!

Como conheceu a Vaticano?*
Portal Vaticano 2018 © Todos os direitos resevados | Por: Agência Nectarina