Como proceder quando um brasileiro morre fora do país?

Como proceder quando um brasileiro morre fora do país?

 

Perder alguém da família ou amigo já é muito difícil. Imagina ter que lidar com aquela “papelada” que envolve vários documentos para legalizar o óbito e o sepultamento. A parte burocrática é inevitável e tem prazo para colocar tudo em ordem. Imagina a família enlutada ter que se preocupar com tudo isso? Pior ainda quando alguém próximo morre fora do país. E aí, como resolver? É preciso estar atento em buscar informações de como proceder diante da perda de um ente querido.
Primeiro a família deve procurar a DAC – Divisão de Assistência Consular, que é o órgão responsável por auxiliar a família na liberação, necropsia e traslado do corpo. Assim que é registrado o óbito, a família deve encaminhar a certidão gerada para o consulado geral do Brasil do país onde ocorreu o óbito.
Na sequência esse documento deve ser traduzido para o português por tradução juramentada que é uma tradução oficial feita por um tradutor público. Assim que gerada, são emitidas sete vias originais desse documento que acompanhará o corpo e deverão ser entregues durante o processo do transporte.
O procedimento passa por várias autorizações bem como pelo judiciário, e pela Polícia Federal. O caixão também é inspecionado e tem que ter lacre a zinco, a embalagem internacional garante que o corpo chegue até o destino da melhor forma possível onde já é aguardado no aeroporto pelo transporte funerário.
Os valores de transporte internacional dependem de qual país a pessoa faleceu.
Para a execução dos traslados de corpos internacionais, são exigidos os seguintes documentos:
•    Passaporte ou RNE
•    Declaração de óbito
•    Autorização traslado emitido pela embaixada
•    Declaração médica infectocontagiosa emitido no Brasil
•    AWB
Obs: Ainda no decorrer do processo e dependendo do país, pode exigir outros documentos.
Traslado internacional
Nessa ocasião o processo pode ser mais burocrático, visto que os trâmites envolverão as autoridades e os consulados de outros países. Saiba que são eles os responsáveis pela liberação do corpo, mas o Ministério das Relações Exteriores não custeia o traslado.
As despesas só serão financiadas pelo governo quando o brasileiro estiver a serviço do país ou se a nação estrangeira tiver alguma responsabilidade sobre a morte do indivíduo.
Por essa razão, recomenda-se a contratação de um serviço funerário que ofereça o transporte. Entretanto, se a família não puder arcar com as despesas, o sepultamento acontecerá no país estrangeiro sob a legislação local.


Saiba mais:  http://www.portalconsular.itamaraty.gov.br/outros-servicos/registro-de-obito

Consulados Brasileiros
Link: http://consulados.com.br/brasil/


Compartilhe essa notícia:

A Vaticano possui a mais completa estrutura para melhor atender seus clientes, contando com Capelas de Velório, Cemitério, Crematórios, Crematórios Pet, Floricultura e Distribuidora de Flores. Buscamos constantemente o aprimoramento no atendimento às famílias enlutadas e de nossos profissionais. Estamos sempre em busca de inovações no setor. É uma empresa de origem familiar, e hoje, é administrada pela terceira geração.

2º via Boleto