Sequelas que o coronavírus pode deixar após a cura!

Há pouco mais de um ano os profissionais da medicina enfrentam o maior desafio dos últimos tempos. E por conta disto, infelizmente, muitas vidas estão sendo ceifadas prematuramente. O primeiro registro do coronavírus no Brasil, foi em fevereiro de 2020 e ainda não existe um remédio para a cura, ou até mesmo uma vacina que garanta cem por cento a eficácia em combate ao vírus. No entanto, entre mutações do vírus, casos de reinfecções, e a possibilidade de sequelas, uma nova situação é chamada de síndrome pós-covid-19. De acordo com pesquisas no início da pandemia, o tempo de recuperação de infectados era de duas a seis semanas, nos casos mais graves. E hoje, existem relatos de pessoas com sintomas persistentes, que duram até meses.

Reprodução G1 /Elcio Horiuchi

E quais são os sintomas? Por que isso ocorre? Segundo a médica Doryane Lima, de Cascavel, os sintomas podem durar até seis meses que são: fraqueza, cansaço, perda de cabelo, mal estar, dores de cabeça, esquecimento com mais frequência, falta de ar, aceleração de um quadro de depressão, ou até mesmo de quem está no início da depressão, em alguns relatos até mesmo a diarreia. “Isso acontece porque o vírus altera as células do sistema imunológico. E está relacionado ao sistema imunológico de cada pessoa”, comenta. Por isso, se os sintomas persistirem, é muito importante procurar um médico, mesmo porquê esses sinais podem estar relacionados a uma infecção secundária do pulmão, ou do sistema gástrico intestinal. Bem como o quadro de depressão, a tontura, dor de cabeça, também podem estar vinculados em outros tipos de alterações do corpo. O que não pode ocorrer é sentir os sintomas e pensar que são sintomas pós-covid-19 e não procurar um médico. Se caso, precisar de exames, o profissional da área vai avaliar, fazer o diagnóstico e orientar da melhor forma possível.

A médica Doryane ainda comenta que não há pesquisas afirmativas, porém, existem muitos relatos que registram que as sequelas duradouras ocorrem em pacientes que tiveram sintomas graves e leves. Portanto, a síndrome do pós-covid não está relacionada somente em pacientes que tiveram quadros graves.

Em casos de diagnósticos confirmados da síndrome pós-covid-19. O que fazer? E como tratar?

Primeiro, ir em busca de um médico clínico geral, ele vai orientar de acordo com os sintomas. Se for evidente o quadro pulmonar, intestinal, de depressão, certamente, o paciente será encaminhado para um especialista, dependendo o caso, para fazer um acompanhamento adequado.

Redação Vaticano

Fonte: Internet

 

 

 


Compartilhe essa notícia:

A Vaticano possui a mais completa estrutura para melhor atender seus clientes, contando com Capelas de Velório, Cemitério, Crematórios, Crematórios Pet, Floricultura e Distribuidora de Flores. Buscamos constantemente o aprimoramento no atendimento às famílias enlutadas e de nossos profissionais. Estamos sempre em busca de inovações no setor. É uma empresa de origem familiar, e hoje, é administrada pela terceira geração.