Você sabia que o funeral no Japão é dividido em algumas etapas? Veja aqui, algumas delas:

Você sabia que o funeral no Japão é dividido em algumas etapas? Veja aqui, algumas delas:


Como todo mundo sabe os japoneses são preparados praticamente para tudo, inclusive para o velório da família. Geralmente é o filho mais velho quem cuida do funeral da pessoa falecida. É ele que resolve as questões dos serviços funerários e os rituais da cerimônia budista e o processo da cremação. O funeral passa por alguns rituais:

Preparação do corpo - Em outros tempos era comum a família lavar o corpo do falecido. Atualmente esta prática tornou-se comum em hospitais ou pelos agentes funerários, conhecidos como Nokanshi. Na sequência é colocado algodão em seu nariz, em seguida é colocado um terno se for homem, ou um quimono se for mulher. O curioso é que o corpo é mantido envolto por um gelo seco, no Japão eles não costumam embalsamar os corpos. Algumas famílias levam o falecido para passar a última noite em casa. No outro dia o corpo é levado para o local da cerimônia em um carro funerário.  Os arranjos fúnebres são normalmente escolhidos pelo filho mais velho ou parente mais próximo, assim como tudo relacionado ao velório, como o caixão, as comidas que serão servidas, as flores que enfeitarão o altar, etc. 

Velório – O corpo é colocado no caixão na presença de familiares e amigos onde todos estão vestidos de preto, em sinal de luto. Dentro do caixão são colocados objetos pessoais, moedas e alimentos que o falecido gostava. Durante o velório, o sacerdote budista acenderá incensos e recitará um sutra. Depois, cada um dos membros da família, se levantam para fazer orações e depois retornam aos seus lugares. Depois dos membros da família, é a vez dos amigos e demais visitantes repetirem o mesmo procedimento. Após fazem orações e geralmente se deslocam para uma outra sala onde tem bebidas e alimentos servidos.

Cremação – O caixão segue para a cremação, um ritual na qual toda a família participa, até mesmo as crianças. O caixão é colocado sobre uma mesa no crematório e os familiares deslizam o caixão para dentro da câmara de cremação. Em seguida, todos aguardam a cremação ser concluída, o que leva em média duas horas.  Em alguns casos, as cinzas podem ser divididas em duas ou mais urnas, para que possam ser colocadas em locais diferentes como no túmulo da família e em algum templo. As  cinzas costumam ficar durante 49 dias na casa da família junto a uma tabuleta de madeira inscrita com o nome póstumo do falecido.

Enterro das cinzas- O último ritual é o enterro das cinzas em uma cerimônia chamada nōkotsu. A urna com as cinzas são levadas para o jazigo da família, para ser guardado junto com as cinzas de outros familiares. Um retrato do falecido também é colocado no altar budista da família (Butsudan). No primeiro Ano Novo, após a morte, as famílias enlutadas enviam cartões postais para amigos e parentes. 


> Após um ano, as famílias costumam fazer uma cerimônia em homenagem ao falecido durante o Festival Obon (Dia de Finados), que ocorre no mês de agosto e repetem esta cerimônia no 3º, 5º, 7º e 13º aniversário do falecimento. No Japão é costume os parentes e amigos contribuírem com as despesas do funeral. O dinheiro é entregue em um envelope especial de condolências chamado Koden. Esse envelope geralmente é branco com detalhes em preto e branco.


A prática da CREMAÇÃO
A cremação está se tornando uma prática cada vez mais comum no mundo. Embora seja antigo o procedimento, ele demorou em ser aceito. No Japão a cremação existe desde os meados de 1867 quando foi imposta uma lei no país que tornava a cremação obrigatória quando pessoas morressem de doenças contagiosas. Outro motivo relevante é a questão do espaço territorial que hoje praticamente não existe para realizar sepultamentos. Entre outras religiões que não são budistas e o cristianismo não chega a 2% no Japão.


Compartilhe essa notícia:

A Vaticano possui a mais completa estrutura para melhor atender seus clientes, contando com Capelas de Velório, Cemitério, Crematórios, Crematórios Pet, Floricultura e Distribuidora de Flores. Buscamos constantemente o aprimoramento no atendimento às famílias enlutadas e de nossos profissionais. Estamos sempre em busca de inovações no setor. É uma empresa de origem familiar, e hoje, é administrada pela terceira geração.

2º via Boleto