Ressignificando as datas comemorativas de final de ano para o enlutado.

As festas de final de ano envolvem rituais criados acerca de cada religião e crença vivida pelas pessoas, mas de qualquer maneira sempre será um momento de reflexão sobre o ano que passou e o ano que está chegando, momento de uma entrega total, onde as famílias e amigos fazem um movimento intenso para que tudo pareça muito lindo e mágico. As luzes, as árvores, o presépio, o amigo oculto, a figura do papai noel envolto de muitos presentes, trazendo assim momentos de pura magia.

 Porém para as famílias enlutadas a magia passa a ter outro sentido, este momento é de dor, pois falta alguém...Muitas vezes aquele alguém que mais gostava de festa, de fazer a magia acontecer... Mas e agora? Como comemorar?

Não há maneira certa ou errada, cada individuo é único, e cada um vai passar à sua maneira, o que se faz importante neste momento é não calar. É necessário verbalizar sobre a pessoa que se foi, pois, a família toda está na dor, assim como está na festa.

Tire um momento para falar “como ela estaria se estivesse aqui? ” “O que poderíamos fazer diferente? ”

Falar sobre a pessoa que se foi, pensar e refletir como está sendo viver sem ela, é importante para ressignificar e validar um luto saudável. Não há nada de errado em falar sobre a pessoa que se foi, mas sempre respeitando cada um, se for doloroso demais falar sobre, apenas respeite o momento.

Colin Parkes, psiquiatra britânico, relata no livro Luto: estudos sobre a perda na vida adulta: “a dor do luto é tanto parte da vida quanto a alegria de viver; é, talvez, o preço que pagamos pelo amor, o preço do compromisso”.

O importante é entender que a pessoa que se foi sempre terá um local de destaque na família, na vida e é importante entender onde é esse lugar para que a pessoa que se foi esteja lá e o indivíduo enlutado se sinta cada vez mais confortável com isso, embora as lembranças e a saudade para sempre existam, independentemente do tempo que passar.

Lembrando que se faz necessário saber compreender se o luto vivenciado e potencializado com o fim do ano está sendo saudável ou patológico. É o momento de fazer diferente, buscar novos olhares sobre a vida, sobre o real significado das festas de final de ano, entender cada momento, e quem sabe passar a fazer o natal todos os dias... O final de ano todos os dias.... Não precisamos esperar as festas de final de ano para abraçar, presentear, fazer aquele almoço diferente, ou colocar aquela roupa nova. A vida acontece agora neste exato momento, onde o amor pode fazer parte todos os dias.

 Afinal, reunir sua família e amigos e desfrutar de bons momentos pode continuar a ser feito, porém respeite seu tempo, se você ainda não se sente confortável em comemorar, converse amigavelmente com as pessoas que se importam com você, busque ajuda, existem muitas pessoas a sua volta.

Dessa forma, tudo será resolvido de maneira respeitosa. Mas, não se esqueça que os próximos eventos precisam ser aproveitados e intensamente vividos por você.

Busque ajuda de um profissional psicólogo.

Andréa Arruda – Psicóloga

CRP 12/20615


Compartilhe essa notícia:

A Vaticano possui a mais completa estrutura para melhor atender seus clientes, contando com Capelas de Velório, Cemitério, Crematórios, Crematórios Pet, Floricultura e Distribuidora de Flores. Buscamos constantemente o aprimoramento no atendimento às famílias enlutadas e de nossos profissionais. Estamos sempre em busca de inovações no setor. É uma empresa de origem familiar, e hoje, é administrada pela terceira geração.