Quais as religiões que permitem a cremação?

A cremação é um dos processos mais antigos praticados pelo homem. Atualmente as menores taxas de cremação do mundo estão em países católicos, como a Itália que registra um número bem baixo, enquanto o maior número da Europa é da República Tcheca com 76%. No Japão a procura de cremação chega a 98%. No Brasil, o primeiro crematório surgiu em São Paulo, em 1974. Hoje, o país conta com mais de cem crematórios espalhados por vários estados. Por conta disto, a cremação tem crescido consideravelmente, tanto pelo aumento de crematórios como também pelas facilidades de negociação para o procedimento. Outros motivos pela escolha da cremação são por conta de ser um procedimento rápido, prático, econômico e ecologicamente correto.

Divulgação

Porém, é importante salientar que independente dos motivos é necessário que a família ou parentes sejam comunicados para uma possível autorização. No Brasil, para realizar o procedimento da cremação exige que a pessoa registre em cartório o desejo de ser cremado, ou então que o parente mais próximo requisite o serviço. Já a disposição final das cinzas é livre, podendo ser conservadas em jazigos ou entregues a um depositário de cinzas. Agora se você tem alguma dúvida referente sua religião com relação a cremação, decidimos separar a visão de algumas aqui. Segue abaixo:

Divulgação

Catolicismo

Logo após a Revolução Francesa, as pessoas, descrentes da vida eterna e da ressurreição dos mortos, começaram a incinerar os cadáveres para provar que não haveria possibilidade de Deus ressuscitar ninguém. Mas, com o passar dos séculos, a fé também foi se transformando e o costume de incineração como forma de protesto também foi mudando. Em 1963, por meio do papa Paulo VI, o Vaticano reconheceu a cremação como um ritual válido de despedida. Pois deu novas orientações para os católicos que desejassem ter seus corpos cremados após a morte. A Igreja entende que a cremação, em muitas situações, se faz necessária, principalmente em lugares de grande população, onde não há espaço suficiente para o sepultamento dos corpos. Porém, mesmo orientando que as cinzas não podem ser espalhadas em matas, no mar, divididas ou mesmo mantidas em casa, mas sim devem ser guardadas num lugar sagrado e aprovado pela Igreja, seja nos cemitérios ou espaços próprios criados para este fim. É importante ter um lugar onde se possa reverenciar e rezar a memória daqueles que caminharam entre nós e agora vivem no céu, na morada do Eterno Pai, principalmente no dia de Finados, onde fazemos memória de todos os fiéis falecidos. Ir a um local onde se possa acender uma vela ou depositar uma flor é importante para não afastar a memória dos falecidos da recordação dos parentes e da comunidade cristã.

Espiritismo

No Espiritismo, a cremação é perfeitamente aceita e não existem argumentos contrários, a não ser apenas que haja um intervalo de 72 horas entre a morte e o início do ritual. Essa orientação se baseia na crença de que o espírito pode manter uma ligação com o corpo após a morte, por até esse período. Chico Xavier, médium, filantropo, e um dos mais importantes expoentes brasileiro do espiritismo, considerou ao ser indagado sobre a cremação: “Já ouvimos Emmanuel – (nome dado por Chico Xavier ao espírito) a esse respeito. Ele diz que a cremação é legítima para todos aqueles que a desejem, desde que haja um período de, pelo menos, 72 horas de expectação para a ocorrência em fornos crematórios”.

Evangélicos

Também não aponta proibições quanto à cremação, por parte de seus líderes religiosos. A vertente mais tradicional e seguidora do velho testamento costuma optar em sua maioria pelo sepultamento, mas não há nenhum tipo de proibição clara, apenas orientações. E há ainda uma citação do Reverendo Odayr Olivetti, que parece estimular essa prática: “sem dúvida, a cremação é mais saudável para os que permanecem vivos, para que cuidem de seu corpo”. E ainda: “assim como se deve e se pode tratar com respeito e decência um cadáver que vai ser sepultado, também se deve e se pode tratar com decência um cadáver que vai ser cremado”.

Hinduísmo

Uma das religiões que é mais favorável à cremação é o hinduísmo. Os hindus acreditam que o fogo funciona como um elemento purificador, ajudando o falecido a se desapegar dos restos materiais e partir para uma nova dimensão. Muito mais importante que a carne, é manter o falecido vivo na memória.

O judaísmo, o islamismo e o candomblé não permitem a cremação do corpo, pois acreditam que o retorno do corpo à terra completa o ciclo da vida.

Porém, em se tratando de um assunto tão delicado, independente da religião ou crença, o procedimento de cremação tem que ser realizado com muito respeito seguindo todas as normas com responsabilidade. O processo que reduz o corpo às cinzas apenas acelera o processo que aconteceria naturalmente através dos anos no caso de sepultamento.

Divulgação

Outras religiões que aceitam a cremação:

  • Adventistas;
  • Asatru;
  • Budismo;
  • Christian Science;
  • Cientologia;
  • Quakers (Sociedade de Amigos);
  • Exército da Salvação;
  • Hare Krishnas (Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna);
  • Igreja de Gales;
  • Igreja da Irlanda;
  • Igreja Episcopal Escocesa;
  • Morávia Igreja;
  • Igreja Unida do Canadá;
  • Luteranismo;
  • Metodismo;
  • Sikhismo;
  • Testiguismo;
  • Unitário Universalismo;
  • Jainismo.

Fonte: internet/ portalvaticano

 


Compartilhe essa notícia:

A Vaticano possui a mais completa estrutura para melhor atender seus clientes, contando com Capelas de Velório, Cemitério, Crematórios, Crematórios Pet, Floricultura e Distribuidora de Flores. Buscamos constantemente o aprimoramento no atendimento às famílias enlutadas e de nossos profissionais. Estamos sempre em busca de inovações no setor. É uma empresa de origem familiar, e hoje, é administrada pela terceira geração.